terça-feira, 7 de janeiro de 2014

SOCIEDADE | Queda de neve prevista para esta madrugada

O anunciado nevão que deverá atingir os Açores nas próximas horas está a provocar algum frenesim

A 27 de fevereiro de 2010 era este o aspecto da borda da Caldeira, no Faial, já durante a tarde desse dia




Quando cai neve no arquipélago dos Açores, se não houver vítimas humanas nem materiais, é quase uma festa! Habituados que estamos, por vezes mesmo em plena época invernosa, ao tempo mole de sul, é natural que, quando o vento vira e nos provoca a agradável sensação de sentir um ar seco, fiquemos de ânimo leve. E se o vento do quadrante norte vem acompanhado de neve, tão invulgar nestas ilhas - tirando a que pousa no altaneiro Pico -, então há motivos para festejar, como quem saúda uma visita curta, rara e bem-vinda.

Os grupos dedicados à meteorologia estão animados nas redes sociais, nomeadamente no Fcebook e aposta-se mais do que a informação oficial.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê para hoje "aguaceiros, que poderão ser de neve acima dos 800 metros". No entanto, os curiosos da meteorologia falam de uma massa de ar frio que chegará aos Açores com mais força do que se pensava. Há quem aponte para a ocorrência de neve acima de 350 metros, uma fasquia bem abaixo do limite estimado pelo IPMA.

O grupo "Amigos da Meteorologia dos Açores em reunião com os administradores" consideou existirem razões para um "alerta laranja para temperatura abaixo da média" já no início da amdrugada de hoje e até quarta-feira. "Espera-se que com a chegada em força da massa de ar polar, as temperaturas à cota de 600 metros possam atingir 2º C", lê-se no grupo de Facebook "Amigos da Meteorologia dos Açores".

Recomendações

Segundo o mesmo grupo de cibernautas interessdos na meteorologia devem ser tomadas, em face da previsão do tempo, as seguintes precauções: verificação das condições de segurança dos equipamentos de aquecimento, que não devem ser postos a funcionar em caso de dúvida; uso de roupas folgadas e calçado adequados à temperatura ambiente, protegendo as extremidades e evitando roupas justas, porque dificultam a circulação sanguínea; uso de várias camadas de roupa, de algodão e fibras naturais, em vez de uma peça muito grossa; proteção das crianças e dos idosos. E, naturalmente, muita atenção na circulação automóvel.